Anime Cultura Japonesa Pagode Japonês

Resenha Semanal | The Detective is Already Dead #08

Escrito por Vini Leonardi

Temos bastante coisa para falar essa semana, com o oitavo episódio de “The Detective is Already Dead“, então vamos direto ao assunto. As resenhas anteriores estão aqui:  #01 | #02 | #03 | #04 | #05 | #06 | #07.

Com o que parece ter sido o fechamento desse arco de flashback, o animê se transformou bastante desde a última vez. Mas essa transformação não se deve a alguma mudança na direção ou no roteiro: O que mudou foi a minha percepção do show. E nossa, tudo faz muito mais sentido, depois de entender o que estava sendo proposto. Faço questão de gastar um tempo explicando o que rolou para você.

Captura de tela do episódio 8 de "The Detective is Already Dead", mostrando Alicia

Vou te dar uma informação útil, assim como o Kimihiko deu um anel para a Alicia (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

No começo da semana passada, dia 16, o site de notícias Anime News Network publicou uma entrevista (em inglês) com o autor da Light Novel de “The Detective is Already Dead”, Nigojū; e também com o diretor da adaptação animada, Manabu Kurihara. O texto completo é muito interessante, e vale a leitura para quem está interessado no animê. Porém, o que eu gostaria de destacar é a essência dessa entrevista: A minha interpretação é de que nunca foi a intenção do autor escrever uma história de detetive.

O que ele queria era fazer mais uma das clássicas histórias de “protagonista absurdamente poderoso“, que faz bastante sucesso no submundo das light novels. E, parando para pensar, a Siesta é exatamente isso: Uma protagonista absurdamente poderosa, simplesmente usando o tema de “detetives” como molde. Vi comentários de algumas pessoas que desgostaram do primeiro episódio, pois a lendária detetive pareceu “ter tirado a solução do caso da cartola” (para não usar um termo de baixo calão), e achei bastante engraçado quando, na entrevista, o autor faz questão de citar justamente esse acontecimento como algo “legal e empolgante“.

Ou seja, o meu problema com “The Detective is Already Dead” (e, talvez, o seu também) não era a produção, mas sim, a expectativa. Já falei bastante sobre esse assunto numa outra postagem, só que dessa vez, o problema foi o oposto: Estávamos esperando uma história de detetives, e analisando o animê como se ela fosse uma… Quando na verdade, ela nunca se propôs a ser uma. Agora que sabemos o que deveríamos estar pensando ao assistir o show, a história muda de figura. E os resultados foram imediatos. Vamos comentar o episódio da semana!

Captura de tela do episódio 8 de "The Detective is Already Dead", mostrando Kimihiko

Posso dizer que, assim como o Kimihiko, eu não estava VENDO DIREITO o que a história queria me contar. Ha… haha… (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

Episódio 8: “Com isso, retomamos nossa jornada”

Essa semana, tivemos um molde bem comum para encerramentos de arco, embora eu possa argumentar que as coisas aconteceram um pouco rápido demais. E isso é irônico, pois passei os últimos três episódios dizendo que as coisas estavam muito lentas. Poderiam ter ajustado melhor a distribuição de “coisas acontecendo” ao longo do flashback.

Com a solução do mistério dos assassinatos, tivemos mais um gostinho da temática de detetive que claramente não é o foco da história. Mais uma vez, aconteceu de termos um caso que poderia ser resolvido com as informações que foram dadas, mas que ainda acabou ficando no quase no quesito satisfação. A diferença dessa semana? Eu não fiquei frustrado com ficar no quase, pois agora sei que não era a intenção da história chegar lá.

O que foi mais importante, na minha opinião, porém, não foi a resolução do caso. Acredito que a parte de maior importância foi o desenvolvimento de personagem que foi dado à Siesta essa semana. Boa parte da primeira metade do episódio foi focada em mostrar um lado mais humano da detetive, e a demonstração funcionou tão bem justamente por ter sido feita através de contradições.

Com a revelação de que a Alicia era, na verdade, um disfarce da Hel, temos uma das profecias cumpridas: O tal livro mágico da vilã tinha dito que o Kimihiko seria o parceiro dela, não é? E foi justamente isso que aconteceu, quando Kimihiko decidiu ser o assistente dela, deixando Siesta sozinha. Isso nos mostra que as previsões do livro tecnicamente se realizam, mas no clássico modus operanti da “Pata do Macaco”, elas não funcionam do jeito que se espera. Ainda bem que teremos ao menos um pouco de liberdade nessa história de “destino traçado”.

Captura de tela do episódio 8 de "The Detective is Already Dead", mostrando Siesta

Uma coisa não muda, porém: A Siesta ainda é uma personagem super divertida, e as interações dos dois protagonistas continuam a melhor parte do animê (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

Considerações Finais

Talvez isso tivesse sendo feito desde o princípio, e eu só percebi agora por conta da minha mudança de mentalidade, mas… Esse episódio mostrou claramente um dos temas abordados em histórias de “protagonistas absurdamente poderosos”, que é o da solidão. Quando se está no topo, não há ninguém com você. Como a Siesta é essa detetive que realmente merece o título de “Lendária”, ela assume o posto absoluto de número um, e isso faz com que ela possa se sentir sozinha num ponto de vista empírico.

O Kimihiko existe como um apoio para a Siesta. Ela mesma diz que ele é alguém que ela “podia confiar“, alguém que ela poderia se dar ao luxo de se abrir, de se aproximar. Do ponto de vista dela, o assistente era uma pessoa que estava próxima do topo, próxima o suficiente para que ela pudesse se identificar e se sentir acompanhada. Mas o episódio usou a Alicia para mostrar que mesmo com essa proximidade e intimidade entre os dois, o Kimihiko ainda está muito mais próximo das pessoas normais do que da genialidade da Siesta. Ao colocar a garotinha como um ponto de comparação, tanto o público como a própria detetive conseguiram identificar que o assistente pendeu pro lado que ele se identifica mais.

A qualidade de gênio da Siesta, porém, é a dedução e o raciocínio. Por causa disso, ela consegue entender a posição que estava e a posição de seu confidente, e decide ceder um pouco, para conseguir se manter próximo da única pessoa que, até hoje, conseguiu dar a ela ao menos algum tipo de companhia. Estar no topo é solitário, mas apenas se o dono da força quiser que seja assim. O “poder da amizade” não é usado à exaustão sem motivo.

O animê ficou cem vezes melhor e mais divertido para mim, agora que entendo o que eu deveria estar assistindo. Espero que isso te ajude também.

Captura de tela do episódio 8 de "The Detective is Already Dead", mostrando Kimihiko (esquerda) e Alicia (direita)

O Chad Kimihiko que entende a intenção do autor vs The Virgin Alicia que está passando nervoso com a história (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

O animê está disponível na Funimation, com novos episódios aos domingos, e legendas em português. Além de “The Detective is Already Dead”, a Funimation também anunciou diversos outros títulos para a temporada de verão de 2021, incluindo algumas dublagens para o português.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Vini Leonardi

Cavaquinho na roda de pagode da Torre. Jogo World of Warcraft e assisto desenhos chineses, e nas horas vagas faço faculdade de Química.
Pra mim, Marvel e DC parecem nomes de marcas de roupa chique.
Finjo saber escrever sobre animes quando na verdade tudo que faço são menes irados.

Deixar um comentário

Or