Anime Cultura Japonesa Pagode Japonês

Resenha Semanal | The Detective is Already Dead #05

Escrito por Vini Leonardi

Hoje é domingo, o que significa que é dia de mais uma Resenha Semanal de “The Detective is Already Dead”! Se chegou aqui agora, as resenhas anteriores estão aqui: #01 | #02 | #03 | #04.

O começo de um novo arco é sempre um ponto interessante, pois podemos virar a página e tentar arrumar os erros antigos ou melhorar as qualidades já estabelecidas. Ou, você pode não fazer nenhuma das duas coisas e se manter exatamente do mesmo jeito. Foi o que aconteceu nesse episódio. Vamos comentar!

Episódio 5: “Aquilo foi direcionado a um ano no futuro”

O episódio inteiro foi de flashback. Assistimos 24 minutos de coisas que já estão no passado, quando Siesta ainda estava viva. Embora isso não seja um problema por si só, pois acaba fazendo parte da própria premissa do animê, todo o peso emocional e a tensão desaparecem, quando se conta algo dessa forma. É um preço a se pagar por estruturar uma história que começa da metade, mas ainda querer contar a primeira parte dela. Se ao menos alguma franquia espacial multimilionária não tivesse feito isso antes pra te explicar, não é mesmo…

Captura de tela do episódio 5 de "The Detective is Already Dead", mostrando "Siesta".

Relembrar do passado pode ser bom, pois isso dá mais tempo para a Siesta aparecer. Olha que garota fofa! (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

Pense no episódio num vácuo: Imagine que você não sabe que isso é uma mera lembrança, e que aquilo poderia estar ocorrendo no presente. O episódio funciona. Existe uma construção ideal de estresse nas cenas. Começamos com uma calmaria, com os dois brincando na praia, se divertindo, e levantando todas as death flags possíveis. Daí, somos levados a uma situação onde a vida do Kimihiko está em risco. Ele poderia muito bem morrer ali, naquela noite, pelas mãos (ou garras?) do lobisomem. Ainda pensando nisso, ele ser sequestrado pela “nova” vilã e levado para conhecer o “novo” totó da organização maligna também era uma situação tensa. Tudo indicava que existia um risco real ali, e o resgate da Siesta viria a ser uma cena emocionante.

Mas nada disso acontece! Sabe o motivo? Pois isso é um flashback! Isso já aconteceu! Todos nós sabemos que tanto o Kimihiko quanto a Siesta sobreviverão. Claro que a Siesta morre depois, mas nós sabemos que ela morre em outra situação. Logo, ela sai viva dessa. Isso faz com que esse episódio inteiro não passe de uma grande preparação de terreno, apenas nos dando informações que vamos precisar pro arco. E passar um episódio inteiro sem algo que vale alguma coisa é chato! Puxa, pelo menos me mostra um pouco do presente! Me diz que alguma coisa que foi dita aqui tem algum significado, pra eu ficar ansioso pelo próximo episódio. O que foi mostrado é até interessante, mas não tem valor nenhum. Eles tentaram fazer isso com a introdução de um “livro de profecias“, mas isso me fez mais ficar temeroso pelo futuro já estar marcado do que qualquer coisa…

Captura de tela do episódio 5 de "The Detective is Already Dead", mostrando Kimihiko.

“Oh céus! O protagonista está correndo sério perigo! Estou com tanta apreensão por ele!” disse ninguém. (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

Considerações Finais (Bem, “parciais”, mas vocês entenderam)

Três pontos sobre o episódio que eu quero destacar: Mais um comentário sobre as interações da Siesta e do Kimihiko; O lobisomem; E a problema das introduções que ocorreram.

Para começar, voltamos a falar sobre como os dois protagonistas interagem. Hoje, vimos uma dupla diferente, já com quase três anos de experiências lado a lado. Embora o jeitão central das interações deles tenha continuado o mesmo, fica claro que eles ficaram mais próximos. Ao longo das conversas eu já cheguei a pensar em como “A Siesta se apegou ao Kimihiko“, e isso foi explicitamente mostrado com a cena final. De um lado, isso mostra uma progressão na história, e nos dá um ponto para comparação. Por outro lado… Eu achava mais engraçado quando a Siesta ligava menos pra ele. Ainda é engraçado e ainda gosto bastante, mas um pouco menos.

O segundo ponto é o que me deixou mais triste. Não estou decepcionado, ou revoltado. Apenas… Triste. Como pode você apresentar um personagem que é um lobisomem metamorfo mercenário, dublado por ninguém menos que Jouji Nakata, e simplesmente jogar esse personagem fora em cinco minutos? Isso é um desperdício! Que absurdo! Ele é o personagem mais legal que vocês me mostraram até agora, e daí decidem matá-lo desse jeito? Já tivemos um vilão reciclado no arco anterior, qual seria o problema de fazer isso com outro (que, convenhamos, é muito melhor do que um terrorista com uma orelha mutante)?

Captura de tela do episódio 5 de "The Detective is Already Dead", mostrando "Hel".

O que será que estão tentando dizer ao fazer a grande vilã ser exatamente igual a Siesta, só que com uma paleta de cores invertida? Deve ser apenas coincidência, né? (Reprodução: Twitter oficial, @tanteiwamou_)

Para encerrar, outro velho conhecido: Introduções esquisitas. Hoje, conhecemos a suposta grande vilã da história, “Hel”, a líder da organização maligna que a detetive enfrenta. Embora a introdução dela tenha sido a melhor até então, isso não quer dizer muita coisa, quando olhamos para as anteriores. Eu tenho duas reclamações principais com o que foi feito com ela. De início, a própria aparição dela foi uma história mal contada. O que motivaria a líder suprema de uma organização secreta a ir pessoalmente resolver assuntos de um subalterno? Mesmo com a desculpa de que ela “queria conhecer pessoalmente o futuro parceiro dela“, a sua entrada foi um pouco envolta de mistérios.

A outra coisa é sobre como a entrada que de fato ocorreu foi muito… sem sal? Acho que posso dizer que foi um “problema de direção“, de não conseguir transmitir a mensagem que eles queriam. Toda a cena deu a impressão de que eles estavam tentando mostrar o quão cruel, malvada e sem escrúpulos a garota era, mas acabou faltando impacto. Não houve foco o bastante, ou atenção o bastante, ou detalhamento o bastante para passar essa ideia. As cenas deveriam ser viscerais, mas foram muito superficiais, não dando o resultado esperado.

Como saldo final, o episódio foi interessante, mas foi apenas uma fração do que poderia ter sido. E, até então, essa parece ser minha impressão geral de “The Detective is Already Dead”: Muito potencial que não está sendo usado. Você pode sentar e esperar que utilizem o que tem (que pode nunca acontecer), ou simplesmente ir embora. Eu vou esperar, pois ainda tem muitas resenhas semanais pela frente.

O animê está disponível na Funimation, com novos episódios aos domingos, e legendas em português. Além de “The Detective is Already Dead”, a Funimation também anunciou diversos outros títulos para a temporada de verão de 2021, incluindo algumas dublagens para o português.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Vini Leonardi

Cavaquinho na roda de pagode da Torre. Jogo World of Warcraft e assisto desenhos chineses, e nas horas vagas faço faculdade de Química.
Pra mim, Marvel e DC parecem nomes de marcas de roupa chique.
Finjo saber escrever sobre animes quando na verdade tudo que faço são menes irados.