Anime Cultura Japonesa Pagode Japonês

Primeiras Impressões | The Promised Neverland

Escrito por Pedro Ladino

Desde que começou a ser publicado em 2016 na Shounen Jump, The Promised Neverland vem batendo recordes e mais recordes de vendas. Então, a chegada do anime era mais do que óbvia. Assim, em Janeiro de 2019, o anime enfim estreou.

Antes de começarmos, eu estou em dia com o mangá, então sei o que estar por vir em The Promised Neverland. O primeiro arco, que o anime adaptará ao longo de seus 12 episódios, é de longe o melhor do mangá, e onde, na minha opinião, a história deveria ter finalizado. Os arcos posteriores tiveram uma queda na qualidade, e o atual, é meio difícil prever o que pode acontecer, mas posso afirmar, que não chegará aos pés do primeiro. Não chegam a ser ruins, mas, né?

Enfim, que primeiro episódio excelente, não é mesmo?

Admito que quando escolheram o CloverWorks como estúdio, eu fiquei um tanto preocupado. Era um estúdio recém formado, que tinha acabado de ficar independente da A-1 Pictures, e com bastante projetos já anunciados.

Darling in the Franxx, que foi feito em parceria com a A-1 e Trigger, foi um pouco decepcionante em seu roteiro e o mais recente, Bunny Girl, não é lá essas coisas, nem de direção, nem de animação. E os outros animes que o estúdio apoia, como a terceira temporada de Fairy Tail, bem… é triste. Porém, fui surpreendido.

A direção e o storyboard conseguiram transmitir tudo aquilo que o mangá conseguiu quando foi publicado. A tensão, o sentimento de que “vai dar ruim”, percorre por todo o episódio. A sequência da Emma e Norman após saírem do orfanato é sensacional. A trilha sonora, assim como a abertura e encerramento, são de arrepiar.

A edição também está muito boa, destaque para a cena na cerca após o pique-esconde, quando um personagem decidia falar, havia um close na cara por 1 segundo e depois abria para o plano geral.

Protect

Sobre os personagens, ainda é muito cedo para falar sobre eles. Aos poucos eles serão desenvolvidos, mais especialmente o trio principal, Emma, Norman e Ray.

Emma é a nossa protagonista de shounen padrão, sempre bem animada, tentando levantar a moral; Norman é o cérebro da equipe, é de onde partirão as estratégias; e o Ray é  frio e calculista, um mini-Sasuke. Terão várias revelações sobre o mundo em si, e ver como esses personagens vão reagir a isso, será bem interessante. A Isabella, já adianto, é uma boa personagem, que será bem explorada nesse arco. Se preparem para a enxurrada de teorias que surgirão pela Internet.

Os próximos episódios se focarão em batalhas mentais, enquanto as crianças tentam fugir. Não é impecável, tem bastante bullshit, mas é até que bem feito.

A direção de The Promised Neverland está nas mãos de Mamoru Kanbe, conhecido por Elfen Lied, que eu não assisti; Oono Toshiya é o responsável pela Composição de Série; Shimada Kazuaki pelo Design de Personagens; e Obata Takahiro na Trilha Sonora.

Se manter essa qualidade pelos próximos 12 episódios, podem ter certeza, The Promised Neverland será um dos melhores animes do ano.

The Promised Neverland está disponível pela Crunchyroll. Já o mangá, é publicado pela Editora Panini.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Pedro Ladino

"Just when I thought I was out...they pull me back in."

Deixar um comentário

Or