Música

Futuro dos shows após a pandemia? Corey Taylor opina sobre a nova rotina dos concertos

Escrito por Tassio Luan

A atual pandemia está trazendo importantes dúvidas sobre como será a indústria musical quando este momento difícil finalmente chegar ao fim. Já vimos muitas turnês sendo adiadas ao longo do mundo e para compensar seus fãs, inúmeras bandas estão reapresentando seus principais shows em várias mídias.

Para trazer um pouco de luz em relação ao final do túnel que em breve estaremos chegando, o Rock Feed conversou com o vocalista do Slipknot e Stone Sour ao lado de sua esposa, Alicia Dove, dançarina e diretoria criativa do grupo The Cherry Bombs.

”Tudo vai depender de como iremos reabrir tudo isso. Você quase precisa fazer o que os cassinos fazem em Las Vegas, uma espécie de soft opening. Basicamente é quando você faz uma abertura antes da grande inauguração e as pessoas passeiam por lá e não está lotado. Basicamente será feito isso nessa indústria. Terá que rolar um soft opening. Rolarão alguns shows e será um teste decisivo para ver o que o mundo está preparado para ter. Provavelmente serão em casas pequenas, porque as pessoas estarão assustadas para caralho. Ou até, quem sabe, shows em locais externos para que as pessoas não se sintam confinadas. Elas não se sentem tão presas juntas. Haverá um senso de paranoia por um tempo, mesmo após a chegada de um remédio ou vacina.”

Corey continuou.

”Levará tempo. Alguns shows terão que servir como cobaias e assumir o risco. Se fizermos tudo certo, e criarmos o entusiasmo necessário, provavelmente dentro de um ano ou um ano e meio, poderemos ver o mesmo entusiasmo para shows ao vivo como antes. Acho que quando entenderem que ficará tudo bem, vão entender que eles não davam valor a coisas como shows e a experiência de uma apresentação ao vivo será algo que vão querer ter. Estarão cansados de assistir no YouTube ou assistir no celular. Vão querer estar na experiência e acredito que haverá um verdadeiro renascimento do entretenimento ao vivo.”

Para entrar no gancho de sua opinião, Taylor foi perguntado sobre a chance de Slipknot ser uma dessas bandas para testar nesse novo normal para servir como termômetro aos fãs.

”Eu não sei, talvez. Ajuda se for num local grande para colocarmos todas as nossas merdas. Temos um monte de merda agora e teríamos que ir numa loga de guitarras e procurar algumas coisas, tipo Clown, pega esse kit e dá uma de Frankenstein nele. Vamos só jogar ali. Não, você não pode cagar nele! Seria engraçado e insano. Nós já falamos sobre fazer algo do tipo por anos e fazer um show das antigas. E fazer isso de uma forma que usássemos os equipamentos antigos também. Mas isso, digo, não sei, não está próximo de acontecer. Nós teríamos que ter certeza que poderíamos fazer de uma maneira segura, obviamente. Não só de um ponto de vista do coronavírus, eu digo que isso seria INSANO. Mas veremos. Seria insano.”

A entrevista com Corey Taylor pode ser vista no vídeo acima.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Tassio Luan

Biólogo explorador do horror cósmico e de universos desconhecidos.

Deixar um comentário

Or