Quadrinhos

Culturama: Presente e futuro

Escrito por Marcus Santana

Como se saiu e o que esperar dos próximos meses dos quadrinhos Disney pela Culturama

Quase 9 meses se completaram desde o encerramento das publicações de quadrinhos Disney no Brasil até uma nova editora reassumir o legado. Desde dezembro passado já circulavam notícias que um novo acordo estava fechado e imagens do ex-editor da Abril Paulo Maffia na exposição Quadrinhos, do Museu de Imagem e Som (Mis) e na Comic Con Experience deram a dica que, mesmo não oficialmente anunciada até então, a Culturama seria a nova editora, uma vez que o cenário escolhido para as imagens era justamente de personagens Disney ao fundo. A Culturama, editora fundada em 2003, desbancou inclusive a Panini, que era forte candidata por parte dos leitores a retomar as publicações no Brasil.

Paulo Maffia e a equipe da Culturama no Mis. Foto: Reprodução/Facebook

O ponto de partida para o retorno começou dia 21/02 com um jantar para a imprensa, artistas Disney e convidados. No evento, as capas das edições nº0 foram reveladas. Curiosamente, quase todas já tinham sido deduzidas por leitores nas redes sociais à partir de uma imagem publicada pela editora contendo apenas o título com alguns traços das ilustrações. A capa de Aventuras Disney se tornou a única que foi de fato uma surpresa. Assim, esta se juntou oficialmente aos títulos Mickey, Pateta, Pato Donald e Tio Patinhas.

Para os leitores regulares, as HQs começaram a ser distribuídas nacionalmente por volta da terceira semana do mês de março, com o serviço de assinatura também entrando em prática. Neste último, por seu transporte ser de responsabilidade dos correios, foram informados pelos próprios assinantes relatos diferentes à respeito da data de entrega. O que chamou mais atenção foi a caixa usada para transporte do produto, se tornando até item de colecionador. O kit de assinante contém todas as histórias em quadrinhos do mês e um brinde, sendo este o inicial um copo decorado com os personagens Disney. O brinde não irá para as lojas.

Caixa especial para entrega dos assinantes. Foto: Janaina Silva/Culturama

Nesta modalidade, alguns colecionadores informaram que suas HQs vieram com danos devido ao transporte e dentro das caixas não havia proteção para as HQs e o brinde. Procurada pela Torre, a editora afirma que “as revistas enviadas por assinatura estarão melhor acondicionadas nas caixas já à partir do envio da edição nº1 [a segunda entrega do contrato], com uma proteção a mais que evitará contato com o brinde”.

Em estabelecimentos comerciais, a Culturama lançará todos os meses a caixa especial com todos os cinco títulos. Essa edição será destinada a alguns pontos de venda e lojas online. A primeira caixa já se esgotou em várias lojas, mas é prevista a reposição de estoque em abril.

Caixa especial para livrarias e lojas especializadas. Imagem: Amazon

Apesar da divisão da editora para publicar quadrinhos se chamar HQ Culturama, os planos são apenas para quadrinhos Disney. Outras linhas estão descartadas no momento. A Culturama também pretende publicar livros do Universo Disney. Além do já anunciado Il Manuale degli Espiratori Curiosi, a editora tem contrato com a Marvel e Star Wars e pretende trazer em um futuro próximo livros referentes à essas duas licenças. Não há conflito com outras editoras. Esta possibilidade parecia possível depois do anúncio da publicação do Album Mickey 90 anos pela Panini em Novembro de 2018. A Panini, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que “com o lançamento do álbum do Mickey 90 anos, a Panini celebrou um marco histórico para a editora, anunciando a aquisição das licenças da Disney, Marvel e Pixar no Brasil para a publicação de álbuns de figurinhas”. Álbuns de figurinhas não estão contemplados no contrato da Culturama.

Livro já anunciado pela Culturama. Imagem: Scuolastore

Vem aí também mais um título: O Grande Almanaque Disney. Em publicação diferenciada, este título busca publicar grandes sagas inéditas. Dessa forma, sagas já iniciadas como Mickey Mistery não estão nos planos.     

Em um mercado editorial deficiente como o Brasil, livros de várias editoras não passam de 5 mil exemplares por edição; a Culturama somente em 2018 alcançou a marca de 12 milhões de exemplares comercializados. Sua linha é focada no público infanto-juvenil e serve como a introdução à leitura para muitos. Para as HQs, Maffia conta que “Os adultos já são apaixonados pelos quadrinhos Disney, assim, acreditamos que será natural pais, avós  introduzirem as crianças nessa leitura. Muita gente aprendeu a ler com os gibis e a leitura das revistas é uma brincadeira divertida”A editora possui um serviço especial de assinaturas para escolas, com valores especiais para estimular o uso do material em salas de aula e uma distribuição diferenciada, colocando seus títulos em diferentes pontos de venda trazendo o material para uma maior quantidade de leitores em potencial, fazendo parte da rotina dos mesmos.

Dando continuidade ao projeto, a segunda leva de quadrinhos Disney tem previsão de chegar às bancas, assinantes e demais pontos de venda já em abril. Uma novidade que já poderá ser vista é a volta de matérias a respeito das histórias principais em Aventuras Disney e Tio Patinhas deste mês. Outra seção que voltará é a de correspondência. Respondendo cartas, mensagens e dúvidas dos leitores, esta tradicional parte das HQs também estará nos títulos da Culturama, porém não em todas as edições.

E ainda há muito ao que vir por aí. Futuramente a editora pretende retomar a produção dos quadrinhos Disney no Brasil, porém, no momento, não há previsão. Pois o trabalho em parceria com a Disney precisa de prévia aprovação da companhia. 

Portanto, este é só o começo. O que resta é aguardar.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Marcus Santana

O que seria de nós sem quadrinhos?

Deixar um comentário

Or