Literatura Marca Página

Resenha | O Livro de Ouro da Mitologia

Escrito por Ravel Medrado

Sinopse: ”O Livro da Mitologia, de Thomas Bulfinch, nos encanta com os mais belos mitos, em que se encontram os episódios de Prometeu e Pandora, Apolo e Dafne, Juno e suas rivais, Perseu e Medusa, Minerva e Níobe, entre tantas outras lendas greco-romanas, além dos mitos nórdicos e egípcios. Embora o livro de Bulfinch tenha como objetivo o deleite é, também, uma grande referência de estudos para apreciadores e cultores dos mitos, pela ênfase dada à arte de contá-los durante a Antiguidade.

livro-ouro-mitologia

O Livro de Ouro da Mitologia do renomado pesquisador estadunidense Thomas Bulfinch é uma coletânea de mitos (greco-romanos em sua maioria), escrita em 1855, com o intuito de perpetuar a mitologia de maneira didática. O autor destaca a importância de conhecer essas histórias para se ter melhor leitura e interpretação das referências mitológicas comumente feitas em poesias, narrativas, música e etc.

Contendo uma escrita considerável fácil, Thomas ainda tem o cuidado de situar o leitor, seja colocando os mitos em uma ordem que ajude a compreensão destes ou colocando lembretes entre as frases, a obra também possuí um glossário com os nomes de todos os personagens do livro, então não se preocupe em ficar perdido. Durante a resenha desfrute algumas músicas inspiradas em ícones mitológicos:

Heróis, vilões, deuses e monstros, Bulfinch nos relembra as histórias mitológicas: desde as mais notórias narrativas de Aquiles em Ilíada ou dos deuses nórdicos em seu apocalipse: O Ragnarok. Em vários enredos é evidente a tentativa dos antigos de explicarem os fenômenos da natureza, vide o terremoto e as cheias do Rio Nilo, ou simplesmente criar lições de moral além de exaltar o poder dos deuses.

De certa forma os mitos são os pilares da imaginação do homem ocidental, fortemente expressa na contemporaneidade pelos meios midiáticos, artísticos e religiosos. A  jornada do herói (monomito) é prova disso, a estrutura de narrativa usada em vários contos heroicos ainda é utilizada em enredos literários e roteiros de Hollywood, principalmente com o advento dos filmes de super-heróis nos últimos anos.

Lendas famosas como as de Medusa, Ícaro e Dédalo e Prometeu, serão lembradas facilmente pelos leitores de Percy Jackson, cinéfilos que assistiram Fúria de Titãs ou ainda fãs das séries televisivas com inspiração mitológica, vulgo Xena a Princesa Guerreira e A Lenda de Hércules. Há também as não muito conhecidas, talvez por não houver muito heroísmo ou drama, apenas uma simplicidade de explicar algo, exemplo da personagem Eco, ou dar conselhos para o ouvinte ou leitor.

Biografias de poetas e filósofos, da mesma forma que as heroicas aventuras, participam do repertório da obra junto com a origem dos monstros modernos, vide o basilisco. As religiões também são foco de alguns capítulos, o zoroastrismo e os budismo, descrevendo também os druidas (Panoramix o druida!).

Sem delongas, o livro tem conteúdo útil para futuras leituras e de ótimo entretenimento, um livro de cabeceira. Sugiro procurarem a edição capa dura da editora Martin Claret (intitulada ”O Livro da Mitologia”, só muda o título) pelos textos extras muito interessantes, tenham uma ótima leitura!

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Ravel Medrado

A felicidade só existe na aceitação.