Gameplay Games

RAD: Apocalípticamente colorido e divertido

Escrito por Stenyo Araújo

Desenvolvido pela Bandai Namco e Double Fine, mais conhecida por seu trabalho em Brutal Legend e Psychonauts. RAD fornece uma história alternativa, em algum momento entre meados dos anos 80, o mundo foi aniquilado no inferno nuclear. Evidentemente, os sobreviventes conseguiram juntar restos de civilização suficientes para começar a reconstruir a sociedade. Um grupo de sobreviventes conhecido como “Menders”, conseguiram construir uma vasta rede subterrânea de máquinas destinadas a purificar o ar e purgar as toxinas radioativas que haviam se infiltrado no meio ambiente.

Dos oito personagens, você começa podendo escolher entre quatro. Seu personagem é um dos últimos humanos sobreviventes em uma área relativamente segura do deserto, protegida e abrigada pelas máquinas do Mender. Infelizmente, a energia das máquinas está em constante declínio, e a vila Elder pede um voluntário para explorar os resíduos e tentar encontrar um novo chip de água para alcançar o Trono Nuclear e fazer com que a energia flua novamente.

Antes de ir, ele realiza um ritual (usando um doce keytar) que permitirá que seu corpo se adapte aos restos nucleares além dos portões da cidade. Em vez de ser prejudicado pela radiação, agora você vai absorvê-lo para melhorar seu físico. A radiação é difícil de controlar, no entanto, e as mudanças que ela inflige em você serão imprevisíveis. Aprender a usar essas mutações e dominá-las para reativar a máquina do Mender é o foco principal do jogo.

Jogando como o “corpo novo”, você descobrirá as mutações Exo e Endo com base nos inimigos que você derrotar ou nos itens que descobrir. Estes são poderes selecionados aleatoriamente até com três poderes Exo (ofensivos) e uma infinidade de empilhamento de poderes Endo (passivos) equipáveis ​​em cada execução. O quanto você progride é uma questão de sorte, você não sabe ao certo que mutação irá adquirir, alguns poderes de Exo não se comparam a outros, dificultando um pouco sua jornada.

Como esperado, a morte no RAD é permanente e você perderá todos esses upgrades coloridos e alucinantes, assim como qualquer dinheiro que você não tenha depositado no banco, então não se esqueça de depositar essa pilha de fitas cassete que funciona como moeda para aumentar sua conta bancária e desbloquear algumas vantagens. Os mapas e localização dos inimigos são randomizados para cada sessão de jogo. Assim como outros títulos Roguelite como Spelunky ou Dead Cells, você nunca jogará o mesmo jogo duas vezes.

A morte também é muito importante para o jogo. Itens que você pode encontrar no campo, novos personagens para jogar, peculiaridades para desbloquear, até mesmo tacos de beisebol para balançar ficarão escondidos até você depositar esses pontos após a morte. Temos uma sensação real de progressão com estes desbloqueios, no entanto, o jogo não diz nada sobre COMO você ganha pontos. Matar inimigos faz sentido. Assim como ativar ídolos históricos, explorar cavernas, bater nos chefões e tocar em plantas mágicas que explodem para a vida com vegetação fresca provavelmente ajudam. Nada é definitivamente explicado, o que não é um grande negócio, mas ajudaria para aqueles que querem obter recompensas.

Os personagens têm a qualidade Double Fine que já vimos antes, mas eles também carregam linhas grossas e nítidas em um estilo de sombreamento que não só aparece, mas reforça a sensação dos quadrinhos / anos 80. O mundo em si é super saturado com belos tons de azul, verde-azulado, verde, rosa e tudo que vem dos anos 80.

Tudo sobre este jogo é construído com os anos 80 em mente e é feito com absoluta perfeição. Os efeitos na tela enquanto você muda as opções do menu, até o vocabulário dos personagens. A trilha sonora está repleta de batidas da época, as vezes temos a impressão que o game saiu da série Stranger Things. Um locutor com voz profunda pontua quando adquirimos itens e particularmente matanças criativas, enquanto uma narração feminina explica pontos de trama e descreve alguns inimigos na primeira vez que você os vê. Você até notará uma antiga máquina Pac-Man funcionando de alguma forma ao lado do portal da cidade com os efeitos sonoros clássicos.

Com personagens, desafios e itens desbloqueáveis ​​à medida que você avança no jogo, a única desvantagem que encontro é não saber exatamente o que preciso fazer para acumular esses pontos.

O RAD é um jogo divertido, e é incrivelmente acessível para todos os jogadores. Toda morte é recebida com alegria e curiosidade a respeito de quais membros monstruosos caricaturais eu vou sofrer mutações na minha próxima jogatina e eu poderia tocar facilmente por horas.

OURO – RECOMENDÁVEL

Agradecimentos à Bandai Namco e Double Fine pelo envio do código. O jogo foi rodado em um PlayStation 4 e está disponível também para Xbox OnePC e Nintendo Switch.

 

 

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Stenyo Araújo

Gamer, Geek, Otaku , RPGista, Rokeiro, essas são as cinco palavras que me definem muito bem.

Deixar um comentário

Or