Anime Cultura Japonesa

Primeiras Impressões | O que esperar da adaptação de Violet Evergarden?

A temporada de inverno de 2018 trouxe consigo grandes títulos de qualidade como a adaptação do clássico de Go Nagai, Devilman: Crybaby pela Netflix, a segunda temporada de Overlord e o romance promissor de Citrus. Porém, acredito que entre os diversos shows desta temporada, Violet Evergarden se destaca pela sua belíssima animação e história. Embora o show esteja atualmente no seu segundo episódio, sinto a necessidade de falar um pouco sobre a qualidade que nos aguarda nesta adaptação.

Em 2014, uma autora estreante ganhou o grande prêmio na 5ª Premiação da Kyoto Animation na categoria de melhor novel. Escrita por Akatsuki Kana e homenageada com a impecável arte de Akiko Takase, Violet Evergarden foi publicado pela editora em dois volumes no ano seguinte. A história retrata as viagens de Violet Evergarden, uma Auto Memories Doll atendendo ao seus clientes, transcrevendo suas palavras, embora a mesma seja incapaz de sentir o peso das mesmas.

Meu primeiro contato com Violet Evergarden foi enquanto procurava novas obras de autores japoneses e por acaso encontrei o trabalho de uma talentosa autora Akatsuki Kana. Embora pouco se saiba sobre Kana além da sua vitória no concurso literário da Kyoto Animation, o pseudônimo leva a crer que realmente se trata de uma autora.

Ao ler Violet Evergarden, me vi encantado com a forma como o mundo é descrito, como cada cena e diálogo não passa em branco. Mesmo cenas que aparentavam que não acrescentariam nada ao enredo me surpreenderam ao entregar detalhe sutis sobre os personagens. De fato, o embora a protagonista da história seja Violet sua presença é realmente estabelecida devido aos diversos personagens que a cercam, considerando a personalidade passiva de Violet e sua incapacidade de compreender relações sociais ou os sentimentos de outras pessoas.

Os dois primeiros episódios até então são em grande parte originais, focando no passado de Violet e no início dos seus dias como uma Auto Memories Doll, uma profissão semelhante a de uma escrivã. Embora que originais, os episódios entregam muito bem o drama de Violet ao tentar decifrar os sentimentos de Gilbert e os seus, enquanto se vê forçada a seguir em frente, deixando para trás os anos de guerra.

Violet Evergarden é certamente concorrente a um dos melhores shows da temporada, e conhecendo o material original ouso dizer, um possível candidato a anime do ano. Através de uma narrativa extremamente visual e episódica, a novel estimula diversos sentimentos no leitor de forma que acho difícil não se emocionar com ao menos uma das histórias sobre esta Auto Memories Doll e as pessoas que encontra enquanto trabalha.

Acredito que Taichi Ishidate foi a uma das melhores escolhas possíveis para atuar na direção desta adaptação, com o mesmo demonstrando grande interesse em adaptar o que é necessário mas sem perder o rumo da obra original. Tais mudanças porém levaram a criação de duas personagens originais para o anime, Érica e Iria, mas que são totalmente justificadas pelo seu papel no enredo, servindo para justificar o ambiente da companhia de Cláudia e desenvolver o personagem de Violet além das suas viagens.

Violet Evergarden está disponível na Netflix com 14 episódios contando com lançamento semanal, atualmente no segundo episódio, seguindo o padrão de transmissão simultânea de outros streamers.

Conhecendo o material original e tendo visto o carinho com que a KyoAni abraçou está adaptação tenho certeza de que este será um grande show. Com uma incrível trilha sonora, visuais exuberantes e uma belíssima história, Violet Evergarden certamente é minha recomendação número um para esta temporada.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Luis Alex Butkeivicz

Estudante de Letras em inglês, autodidata de literatura japonesa, otaku e escritor.

Deixar um comentário

Or