Consoles Gameplay Games PC RPG

ONINAKI: Um bom RPG e um ótimo guia espiritual

Escrito por Stenyo Araújo

Dos estúdios da Square Enix, Oninaki é o mais recente título do desenvolvedora Tokyo RPG Factory, empresa responsável pelos lançamentos de I Am Setsuna e Lost Sphear. Com um estilo de arte semelhante aos jogos anteriores, o game se destaca pelo seu combate de ação em tempo real, e por sua narrativa onde apresenta temas mais pesados.

Situado em um mundo onde a reencarnação é algo normal para a sociedade, os jogadores são colocados no papel de Kagachi, um jovem observador. Observadores são uma espécie de milícia que desempenham um papel fundamental na sociedade, ajudando a guiar as almas errantes para “além do véu” , cortando suas amarras ou livrando-as de seus arrependimentos para que possam reencarnar.

Kagachi tem o poder de não apenas transitar entre o mundo dos vivos e o plano espiritual, mas também se unir a “Daemons”, que servem como uma espécie de parceiro de combate semelhante ao Persona. Daemons são na verdade almas perdidas de guerreiros poderosos, que não conseguem se lembrar completamente do passado, e por algum motivo, não encontraram a paz na vida após a morte, permanecendo nas entrelinhas antes de encontrar a salvação como seu companheiro.

Cada um deles possui armas exclusivas e árvores de habilidades, que você desbloqueará com a progressão do jogo.  A medida que você mata as criaturas, itens referentes a arma que cada Daemon utiliza caem, esse item representa o ponto necessário para gastar na compra de habilidades passivas ou ativas.

Como mencionado antes, os Daemons são almas que não se recordam do passado. Na árvore de habilidades também é possível liberar as memórias perdidas de cada um, possibilitando entender quem realmente foram e os motivos de não terem encontrada a paz.

Você também pode escolher quais Daemons fazem parte da sua equipe, podendo escolher quatro. Durante o game você pode escolher qual Daemon ficará ativo usando o direcional, e cada um lhe proporciona status diferentes.

Ao explorar cidades e masmorras, você pode alternar entre os planos com o toque de um botão, levando a descoberta de algumas criaturas ou NPCS ocultos. Esses planos são geograficamente idênticos, mas apresentam diferentes inimigos e paletas de cores.

O estilo artístico do game exala o clima que o jogo se propõe a fornecer. Originalmente, achei isso muito atrativo, mas depois percebi que muitas áreas pareciam bastante semelhantes, cores nubladas e lavadas.

Além dos inimigos que na maioria das vezes, também eram padrão. Durante o jogo, notei-me lutando contra monstros semelhantes repetidamente, com chefes que também pareciam genéricos. Por outro lado, os modelos de personagens foram bem-feitos, com personagens significativos parecendo únicos e diferenciados, e suas obras de arte em menus também sendo incríveis.

Embora o design de som de Oninaki e a dublagem mínima não fossem excelentes, eles seriam atípicos quanto ao que se pode esperar de um JRPG.

No geral, a história do game e a evolução dos Daemons foram um dos seus pontos mais positivos, mantendo-me interessado do início ao fim.

PRATA – CONSIDERÁVEL

Agradecimentos à Square Enix e Tokyo RPG Factory pelo envio do código. O jogo foi rodado em um PlayStation 4 e também está disponível para PC e Nintendo Switch.

 

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Stenyo Araújo

Gamer, Geek, Otaku , RPGista, Rokeiro, essas são as cinco palavras que me definem muito bem.

Deixar um comentário

Or