Gameplay

Kingdom Hearts: Melody of Memory – Revisitando suas memorias

Escrito por Guilherme Santos

A franquia Kingdom Hearts é famosa pelas diversas maneiras de como os games contam suas histórias, seja em um RPG de ação, jogos de cartas ou jogos mobile, Tetsuya Nomura, diretor da série, sempre dá um jeito de encaixar parte da narrativa principal dentro desses jogos, desse vez no caso é com um jogo de ritmo musical.

Kingdom Hearts: Melody of Memory é uma ótima surpresa. Muita gente havia torcido o nariz ao saber que o próximo jogo canônico da franquia seria um jogo de ritmo musical, porém, após terminar a campanha principal posso dizer com facilidade que mesmo sendo um game que foge um pouco dos padrões da série, toda a essência de Kingdom Hearts está presente no jogo.

A melodia das memorias

Como qualquer jogo de ritmo musical, aqui você toca músicas da franquia Kingdom Hearts dos mais variados tipos, fiquei surpreso com a quantidade de trilhas que podem ser tocadas, passando por músicas de todos os jogos e tendo uma vasta variedade de escolhas.

De uma maneira bem diferente do padrão, no game, ao invés de notas musicais normais, o ritmo é criado através do combate contra inimigos que servem como notas, porém o jogo também possui partes com notas musicais mais familiares em outros segmentos.

No jogo você “controla” três personagens diferentes, que pertencem aos seus respectivos times, e os inimigos vão aparecendo em um caminho preestabelecido em posições e em três linhas diferentes, cabe ao jogador a ir acertando golpes nesses inimigos no ritmo da música e tentando ao máximo sincronizar com o círculo que auxilia o jogador em volta dos inimigos que indica o momento certo de atacar.

Como em qualquer outro jogo de ritmo, se acertar cedo ou tarde demais acaba errando e os pontos variam entre, bom e excelente dependo de como você acerta uma nota, podendo atacar os inimigos com X, L1 e R1, cada botão controlando um personagem diferente, sendo L1 o personagem da esquerda, X o do meio, e R1 o da direita, até então é bem simples, porém existem mais camadas a essa gameplay.

Também é possível pular com bolinha e fazer ataques aéreos, e usar magias com o triângulo, acaba sendo bem simples de se aprender e tocar as músicas mais fáceis, porém, mais para frente no jogo existem padrões bem traiçoeiros para enganar o jogador e inimigos que necessitam de mais golpes para serem derrotados como também combinações conjuntas, e notas coletáveis que servem como uma nota contínua.

Existe outro modo de jogo que aparece em algumas músicas específicas do jogo que mudam completamente esse sistema, fazendo algo bem mais similar a outros jogos de ritmo, com notas musicais padrões e notas com padrão de segurar ou mudar a direção do analógico, e geralmente com alguma cutscene passando por trás e músicas com vocais, muitas pelas de filmes da Disney e da Utada Hikaru.

O game também possui batalhas contra chefes, basicamente os chefes finais de cada jogo estão presentes, e eles usam esse sistema diferente que mencionei porém um pouco diferente, dessa vez a notas vem da esquerda para direita e tendo alguns momentos que o boss pode acelerar a velocidade das notas e alguns momentos em que é preciso desviar de golpes usando o próprio personagem.

Um problema muito grande nesses modos contra chefes e em músicas com cutscene, é que é muito fácil de se confundir com tanta ação na tela e acabar errando muitas das notas, pode se tornar uma experiência bem frustrante e difícil.

Cada música tem três níveis de dificuldade, indo de Fácil, Médio e Difícil. Tenho que admitir que como qualquer jogo de ritmo o jogo fica realmente divertido nos níveis mais difíceis onde cada nota ou inimigo está em perfeita sincronia com a música, criando uma sensação incrível.

Existem alguns elementos de RPG no game, como barra de vida, nível do personagem e itens. Ao errar notas você estará levando um ataque de um inimigo e isso diminuirá a sua barra de vida, se chegar a zero, terá de recomeçar a música. O nível dos personagens não é algo que afeta muito, cheguei a fazer músicas difíceis com personagens no nível inicial sem nenhum problema, porém os itens fazem todas as diferenças.

Os itens podem ser obtidos ao terminar músicas e cumprir missões, ou pode sintetizar elas na loja do Moogle, os itens são poções para recuperar vida que são usadas automaticamente quando o jogador leva uma certa quantidade de dano, bônus de XP e bônus de itens e um Summon, no caso o Mickey que te auxilia durante o percurso. 

Progressão

Falando em missões, cada música tem até três missões diferentes que ao cumpri-las o jogador é recompensado com uma estrela que são necessárias para progredir no mapa do modo aventura do jogo. Basicamente, cada segmento do mapa tem um tipo de estrela diferente.

O modo aventura, ou o modo história, é um mapa na qual você controla uma Gummi Ship bem similar a de Kingdom Hearts 2, e cada mundo aparecem em um caminho interligado, cada mundo contém até duas músicas e ao completar, o caminho vai se abrindo, usando as estrelas que você coleta.

O jogo tem uma progressão simples no começo, porém mais pra frente começa a ficar bem exigente no número de estrelas, obrigando o jogador a repetir níveis e completar mais missões em dificuldades maiores.

Cada música se ambienta em um cenário de algum Kingdom Hearts específico passando por todos os jogos da franquia e ao longo disso, Kairi vai narrando todos os acontecimentos da história até então com cutscenes desde do primeiro game até o final do 3, tendo sim um conteúdo novo no final dessa jornada.

É bem emocionante e nostálgico passar por vários mundos e escutar a músicas e ir relembrando as memórias que você teve ao passar por ali pela primeira vez, jogando com seus personagens favoritos que nesse jogo existem quatro times com três personagens cada, sendo eles: o time principal com Sora, Pateta e Donald; Time Days com Roxas, Axel e Xion; Time 3D com Riku e os dois dream eaters e Time BBS com Aqua, Ventus e Terra. Cada time tem animações e magias diferentes. Em alguns mundos da Disney,  personagens dos filmes fazem uma aparição nos times.

Modos de jogo

O jogo também conta com dois outros modos, um modo na qual você pode selecionar a música que você quer tocar direto de uma lista, sem precisar ir no mapa do jogo para isso e um modo versus online ou contra a CPU.

O modo versus é bem interessante por si só, ele adiciona novas mecânicas que o tornam bem único, basicamente os dois jogadores tocam a música normalmente porém conforme você vai acertando notas e preenchendo sua barra de especial, quando completada, você envia penalidades para seu adversário como punição, um exemplo você é que seu oponente pode deixar os inimigos invisíveis, te deixando completamente vulnerável e te fazer errar, diminuindo o tamanho dos inimigos e entre outras.

O modo versus online também conta com partidas ranqueadas podendo fazer você subir ou descer de rank, isso incentiva os jogadores que realmente gostarem a continuarem a jogar competitivamente, tendo até perfis online e customizáveis.

Um modo museu também fica disponível no jogo, mostrando várias artes e colecionáveis que você pega durante a campanha do jogo ou podem ser compradas na loja do moogle, um modo de jukebox para escutar as músicas e também é possível rever cutscenes.

O game também possui um modo co-op, onde dois jogadores tocam a mesma música, cada um em um canto diferente tendo que trabalhar em equipe para acertar as notas.

O começo de uma nova história

Kingdom Hearts: Melody of Memory traz sim novo conteúdo para a história do franquia focando bastante na Kairi e dá um indício do que vem a seguir nessa narrativa, mas ele não vai muito afundo, apenas preparando o terreno para algo muito grande que deve vir com os próximos jogos.

O jogo também não é muito longo, em cerca de 10 horas ou menos é possível concluir o modo aventura do jogo e aproveitar o conteúdo inédito, porém é bem fácil de se pegar distraído re-jogando aquela sua música favorita ou jogando online.

Melody of Memory acaba sendo um jogo bem divertido e uma ótima adição para a franquia servindo como uma ponte, quase um começo, para uma nova fase dessa série.

Selo Ouro – Recomendável

Agradecimentos à Square Enix pelo envio do jogo em acesso antecipado para a produção dessa análise.

Kingdom Hearts: Melody of Memory foi jogado em um Playstation 4, o game também conta com versões para Nintendo Switch e Xbox One.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Guilherme Santos