Consoles Gameplay Games

Animal Crossing: New Horizons é divertido e relaxante

Escrito por Jean Kei

Animal Crossing: New Horizons é o jogo mais recente da série de simulação social da Nintendo. É um jogo onde você (o único humano do jogo) vai morar numa ilha deserta com alguns animais antropomórficos. Seu objetivo é dar mais vida a ilha a povoando com mais habitantes, ou fazer uma casa maneira, ou deixar o museu da ilha mais completo… Bem, como a maioria dos simuladores sociais, você mesmo traça seus objetivos explorando as possibilidades que o jogo oferece.

Imensas possibilidades…

Animal Crossing é um jogo feito para ser aproveitado gradativamente e te da razões para sempre voltar para ele. Você tem diversas tarefas pequenas para realizar diariamente. Você pode construir casas para moradores novos, coletar itens para o museu da ilha, interagir com moradores, participar de eventos sazonais e muito mais.

E isso é apresentado de forma gradativa.

Em New Horizons, você gradativamente vai ganhando novas possibilidades conforme o jogo avança. No começo do jogo, você não tem muito o que fazer, apenas coletar alguns materiais, fazer uso do sistema de crafting do jogo e pagar sua primeira divida.

Pera, pagar minha primeira divida!?

Veja bem, a ilha em que você vive não é sua. Na verdade, ela pertence a um guaxinim agiota chamado Tom Nook. Tom Nook é um personagem recorrente na série Animal Crossing, que é responsável pelo local onde você vive. Morar na ilha não é de graça, você precisa de no mínimo uma tenda para morar, o que custa dinheiro, e é ai onde Tom Nook entra.

Você começa um jogo com uma pequena divida para ter sua tendinha para morar naquela ilha, e logo após pagar o Tom Nook, você adquire a possibilidade de transformar sua tenda numa casa, o que vai gerar uma nova dívida. As dívidas nesse jogo servem como uma das formas de parâmetro para medir seu progresso.

A primeira dívida do jogo é pequena e pode ser paga com “Nook Miles“, sistema de milhas que te recompensa por fazer pequenas tarefas. Já a dívida que você adquire por construir uma casa, só é paga por Bells (a moeda do jogo), e vai te incentivando a usar as pequenas tarefas do jogo para coletar recursos e vende-los. É possível também expandir sua casa e ter mais cômodos nela, mas isso significa dívidas maiores, e apenas vender o que acha sem pensar muito não vai ajudar muito.

Mas o jogo não é apenas sobre pagar dividas.

Na verdade, pagar Tom Nook é a parte menos interessante do jogo. Logo após pagar sua tenda e adquirir uma casa, você pode ajudar outros moradores, pode ajudar os sobrinhos de Tom Nook a abrirem uma nova loja na ilha, ajudar numa construção de museu na ilha e dar mais vida a ela. E tudo tem muita personalidade. Balthers, a coruja dona do museu por exemplo, ADORA fósseis, acha peixes ok e ODEIA insetos. Caso você pergunte sobre fósseis, Balthers irá falar sobre eles de forma positiva, mas caso fale sobre insetos, ele irá descrever de maneira agressivamente engraçada.

Todos os detalhes desse jogo são feitos com um nível de esmero, cada personagem tem uma personalidade única e isso cria a sensação daquela ilha ser um lugar vivo e real. Além de personagens carismáticos, todo o texto do jogo é divertido e cheio de piadinhas.

No fim das contas, Animal Crossing é sobre se expressar.

Caso você se sinta satisfeito com uma casa pequena e queira focar em enfeitar a ilha com itens, você pode. Caso queira focar em customizar sua casa em deixa-la extremamente agradável para você, também pode. O jogo possui milhares de itens para crafting, para comprar e dar novas possibilidades para moldar sua ilha, sua casa e sua aparência.

A diversão de muitas pessoas nesse jogo é criar roupas customizáveis e compartilha-las na internet. Quase todo dia me pego pensando em como fazer um parque bonito em uma parte da ilha, ou asfaltar algum caminho. Esses elementos fazem com que a ilha de cada jogador seja única. Visitar a ilha de algum amigo ou jogador desconhecido e ver como é a ilha dele é gratificante de uma forma que jamais imaginaria.

Tudo isso é feito a passos lentos, mas não é um problema.

O jogo usa o relógio interno do Nintendo Switch para contar o tempo, logo, seu horário na vida real é o horário do jogo. Construções novas costumam demorar um dia para ficar prontas, então você, jogador, precisa esperar o dia seguinte para ver o novo lugar na ilha. Algumas coisas só aparecem pelo dia, outras só pela noite. Se você marcou a localização da ilha no hemisfério de onde vive, as estações do ano também irão te acompanhar. Eventos sazonais ocorrerão e tudo isso faz com que o jogador demore no minimo um ano para ter acesso a todo o conteúdo que Animal Crossing tem a oferecer.

Esse ritmo lento é feito com a proposta de fazer Animal Crossing ser um jogo que você pode se permitir jogar casualmente de tempos em tempos e ver aos poucos sua ilha deserta se tornar um lugar cheio de vida. Claro, você pode ser um trapaceiro safado e alterar o relógio do videogame, mas isso vai diretamente contra a proposta do jogo.

Mesmo com esse ritmo lento, você ainda pode passar horas e horas fazendo customizações e coletando itens, então, pelo menos por algum tempo o jogador sempre tem alguma atividade para fazer.

Mas, Animal Crossing não é perfeito

O jogo tem problemas chatos. Para um jogo que foi adiado por meses, seus menus oferecem bem pouca qualidade de vida. Você só pode construir um item por vez, as vezes comprar e vender demora tempo demais nos menus e alguns loadings são chatos, mas passáveis.

E como quase todo jogo da Nintendo, o online não é perfeito. Ele funciona, mas não é incomum cair. E sinceramente, deveria ser mais fácil ter acesso a ilhas de desconhecidos.

Para visitar ilha de pessoas desconhecidas você precisa pegar um código chamado Dodo Code e compartilha-lo de alguma forma. Minha experiência divulgando o código nas redes sociais e recebendo visitas desconhecidas foi bem agradável, não recebi mensagens agressivas nem nada, e rolou uma troca de itens bacana. Mas, como o online da Nintendo não é perfeito, fui pescar na ilha de um amigo, peguei um peixe raro, a conexão caiu e o perdi.

Animal Crossing é um ótimo jogo para os tempos atuais.

Devido a toda situação causada pelo Covid-19, quase ninguém está bem. Notícias vem sendo desanimadoras e muitas pessoas não estão lidando bem com isolamento social. Animal Crossing: New Horizons é um jogo confortável e cheio de reforços positivos, além de que mesmo sendo um jogo exclusivo para Nintendo Switch, uma plataforma especialmente cara para brasileiros, possui conteúdo o suficiente para ocupar sua mente por um longo período. Se você quer algo para te distrair, que seja flexível com seu ritmo e que possa ocupar bastante do seu tempo, Animal Crossing: New Horizons é uma boa pedida.

Ah, uma coisa que me surpreendeu foi o quão esse jogo é amigável em questão de gênero. O jogo não pergunta qual seu gênero, mas sim “qual seu estilo”.  Independente de sua escolha você tem acesso a todos os tipos de roupa, sejam masculinas ou femininas. Considerando que outros jogos recentes (como Pokémon) da Nintendo ainda possuem certas limitações de gênero na customização de personagem, achei válido comentar que Animal Crossing: New Horizons vai para um caminho mais democrático.

Selo Ouro: Recomendável

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Jean Kei