Literatura Marca Página

Resenha | Reinações de Narizinho

52422-970x600-1
Escrito por Ravel Medrado

Sinopse: ”Não à toa Monteiro Lobato admitiu que, apesar do título dedicado a Narizinho, quem reinava mesmo nas histórias era Emília. Nem mesmo o autor mais respeitado de toda a literatura infanto juvenil brasileira conseguia dominar as peraltices da boneca de pano nas dezenas de aventuras povoadas da mais rica mitologia nacional. […]

Um clássico do faz-de-conta, na mesma medida que um Esopo ou um La Fontaine, Reinações de Narizinho ainda reina quando pensamos no projeto de uma literatura infantojuvenil nacional. Encontram-se ali os personagens que povoam nosso imaginário há tanto tempo, reunidos integralmente em um único volume, e que nos ensinaram e continuam ensinando a aprender brincando, instigando a curiosidade que é própria da infância e despertando o gosto pela leitura e pelo conhecimento.” 

Resultado de imagem para reinações de narizinho azul editora

As Aventuras do Sítio do Picapau Amarelo é um marco na literatura infantil nacional. A primeira aparição do famoso sítio acontece no volume Reinações de Narizinho, escrito por Monteiro Lobato, publicado em 1931. Explorando o folclore e os contos de fadas, Monteiro cria personagens eternizados na cultura popular, como por exemplo, Emília a boneca de pano tagarela.

Alguns dizem que a bondosa velhinha chamada Dona Benta vive solitária em seu Sítio, pois estão muito enganados. Dona Benta vive com sua netinha chamada Lúcia, apelidada carinhosamente de Narizinho por causa de seu nariz arrebitado. Também moram no Sítio do Picapau Amarelo tia Nastácia a cozinheira de mão cheia contadora de histórias que costurou para Narizinho a boneca ”com olhos de retrós preto e sobrancelhas tão lá em cima que é ver uma bruxa”.

img_premio_fundacao_nacional_do_livro_2

Emília e Narizinho.

No primeiro capítulo titulado ”Narizinho”, Lúcia depois de um cochilo perto do ribeirão é convidada pelo Príncipe do Reino das Águas Claras para visitar seu reino, levando juntamente a boneca Emília que, depois de tomar uma pílula falante do Dr. Caramujo, começa a tagarelar fazendo suas asneiras serem o cômico da história.

Outros personagens aparecem ao decorrer da narrativa: Pedrinho o outro neto de Dona Benta, o Marquês de Rábico, o Visconde de Sabugosa e personagens dos contos de La Fontaine e Esopo. É uma narrativa espontânea e divertida, além de ser uma relembrança da infância para aqueles que já viveram na zona rural ou interior e um deleite para as crianças.

As aventuras do Sítio são envoltas por diversas curiosidades. Monteiro por meio de suas personagens pôs suas convicções em evidência, ele acreditava no desenvolvimento do país poderia ser acarretado pela exploração do petróleo, o qual o Visconde de Sabugosa encontra no sítio, ou quando a Emília e o Marquês de Rábico se casam e pedem o divórcio que na época ainda era tabu. O pó de Pirlimpimpim, capaz de fazer os personagens viajarem para o país das Fábulas, era cheirado pelos protagonistas, contudo nas versões para televisão foi modificado para não fazer apologia às drogas.

Confira uma parte do filme O Saci de 1951 (completo no youtube):

Em 18 de abril, nascia Monteiro Lobato, data que foi escolhida para se comemorar o dia do livro infantil. Dentre outras obras do autor para o público infantil estão O Saci e As Caçadas de Pedrinho.

Tenham uma ótima leitura!

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Ravel Medrado

A felicidade só existe na aceitação.