Literatura Marca Página

Resenha | O Protegido

UOUUU
Escrito por Ravel

Sinopse: ”Ao cair da noite, eles surgem por todos os lados, famintos por carne humana, demônios de areia, de vento e até de pedra, conhecidos como terraítas. Depois de séculos, a humanidade definhou e se tornou refém da escuridão. Arlen, Leesha e Rojer, jovens sobreviventes, atrevem-se a lutar e encarar as trevas. O jovem Arlen recebe os ensinamentos de um mensageiro e descobre que o medo, mais que os demônios, é o mal a ser combatido. Leesha tem a vida destruída por uma simples mentira e se torna ajudante de uma velha e misteriosa ervanária. E o destino de Rojer muda para sempre quando um menestrel chega à sua vila com uma rabeca. Juntos, eles podem oferecer ao mundo uma última, e fugaz, chance de sobrevivência.

O impressionante universo criado por Peter V. Brett – que, assim como muitos de nós, foi educado com uma rígida dieta de romances fantásticos, HQs e Dungeons & Dragons – cativa e emociona o leitor, nos tornando parceiros e reféns de seu mundo e personagens. Peter constrói uma bela metáfora sobre o medo e como precisamos confrontá-lo todos os dias.

o_protegido

Uma sociedade dominada pelo medo durante séculos por demônios, chamados terraítas, é a ambientação da história em O Protegido que compõem a saga Ciclo das Trevas, do autor Peter V. Brett. O primeiro e o segundo volume foram publicados em 2015 no Brasil pela editora Darkside Books com os título O Protegido (The Warded Man) e A Lança do Deserto (The Desert Spear).

Seguimos a trajetória de três personagens: Leesha, Arlen e Rojer, e os eventos trágicos que irão mudar as suas vidas. Todas as noites quando o sol se põe, os terraítas emergem do chão para aterrorizar os humanos, a única coisa que repele esses demônios são os diversos círculos mágicos formados por inscrições chamadas de proteções. Veja o booktrailer pela editora Darkside Books:

Menestréis, ervanárias e mensageiros, além de outras classes, constituem o imaginário do mundo de Thesa. A história thesada pode ser dividida por eras: a Era da Ignorância é marcada pelo massacre em massa dos humanos. Depois de longos anos fugindo dos monstros sombrios, runas que repeliam estes algozes foram traçadas, em seguida se desenvolveu proteções que atacavam os terraítas e assim se iniciou a Era do Salvador.

Na Era do Salvador foi traçada a primeira Guerra Demoníaca, a humanidade venceu e os demônios desapareceram, foi um grande período de prosperidade e desenvolvimento que acabou por iniciar a Era da Ciência. Contudo os terraítas retornaram das Profundas, como é chamado seu covil, e pegaram os homens desprevenidos e a Era da Ignorância recomeçou. A história na qual nos situamos acontece 300 anos depois do retorno dos terraítas.

A jornada do herói se aplica bastante na história. Brett em seu romance de estréia apostou na simplicidade com pequenos clichês na construção do seu universo e personagens, como exemplo, boa parte da história da personagem Leesha que lembra o livro Mundo Sem Fim (2007). Apesar disso, o livro tem seus pontos fortes. A escrita é bem simples e acessível, as cenas de batalha são bem descritas, os protagonistas são cativantes, e claro, a mensagem maior do livro é bem clara: o maior inimigo é o medo.

Confira o vídeo de Peter V. Brett comentando sobre a edição brasileira do seu livro:

Um livro de fantasia ótimo para passar o tempo e se encaixa no estilo dark fantasy.

A edição do livro pela Darkside Books é incrível, houve alguns erros na primeira edição no quesito de revisão mas já foram consertados. Depois de O Protegido e A Lança do Deserto, a Darkside pretende lançar o terceiro volume no segundo semestre de 2016 ou início de 2017. A tradução ficou por conta de Petê Risatti.

 Tenham uma ótima leitura.

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Ravel

A felicidade só existe na aceitação.