Cinema Tela Quente

Crítica | Animais Fantásticos e Onde Habitam

Escrito por Ravel Medrado

Nova York. 1920. Bruxos. Newt Scamander, um magizoologista britânico e uma mala cheia de criaturas. Animais Fantásticos e Onde Habitam é um spin-off da saga cinematográfica Harry Potter baseado nos best-sellers homônimos escritos por Joanne Rowling (ou se preferir J. K. Rowling). Um filme divertido, abrange e explora o mundo mágico criado pela autora resultando em um grande presente para os fãs. Essa é uma crítica sem spoilers.

Eddie-Redmayne-in-Fantastic-Beasts-and-Where-to-Find-Them1

Eddie Redmayne interpreta o protagonista Newt Scamander.

Diferente dos antigos 8 filmes, J. K Rowling trabalhou junto com outros roteiristas e esse foi seu primeiro filme em que roteirizou tudo sozinha.  O filme não é apenas uma adaptação e sim a mais pura essência da autora que fez um trabalho impecável: o roteiro consegue se concluir da mesma maneira que se faz um laço ou se amarra o cadarço evitando uma queda. Personagens bem caracterizados, cenas de ação ótimas e uma dose de humor certa (como não amar Queenie?).

Confira o trailer:

Contudo a área de conforto é enorme, não precisa ser um crítico de Hollywood para afirmar que Animais Fantásticos é um Harry Potter. O estúdio, diretor e J. K. não foram tão audaciosos nesse projeto (não significando que o resultado foi ruim) o que é evidente uma fórmula usada em filmes anteriores, basicamente foi o que aconteceu em Star Wars Episódio VII que usou vários elementos do Episódio IV.

Os elogios quanto a ambientação, figurino e trilha sonora exemplificam um trabalho bem feito. Não é novidade para os fãs que J. K. Rowling sempre deu atenção às músicas em seu mundo, desde As Esquisitonas (rock) à Celestina Warbeck (jazz), dessa vez vimos a mistura do blues e magia deu certo, escute uma música contida no filme:

Quanto as partes técnicas, fotografia e outras, como não sou especialista talvez não posso dizer tanto sobre, mas achei tudo muito belo. Para exemplo de comparação, achei melhor que o Harry Potter e as Relíquias Parte 2 e inferior ao Parte 1 do mesmo diretor, David Yates.

O plano de fundo de Animais Fantásticos e Onde Habitam é peculiar. A sociedade bruxa norte-americana vive um dilema com quanto a exposição da magia para os ‘’não-maj’’ (chamados de trouxas na Inglaterra), além de um preconceito maior com estes diferente dos bruxos britânicos. Devido a tantas histórias no filme, acabou que a parte política ficou um pouco apagada, talvez deixaram para os próximos filmes até para não errar em alguns conceitos.

Para quem leu os livros sempre imaginou as diversas criaturas de diversas maneiras, o filme também ajuda a mostrar a estética da autora, na maioria das vezes uma mistura de animais do mundo trouxa. Há diversas surpresas no filme, a que mais me chocou foi o primeiro amor do protagonista, com referências a Hogwarts claro. O futuro da franquia talvez não seja um mistério: vão se utilizar de elementos de Harry Potter e sem exagerar na ousadia.

Tenham um ótimo filme!

Comentários
Compartilhar

Sobre o Autor

Ravel Medrado

A felicidade só existe na aceitação.